×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com id: 715

Proposta, realizada em parceria com o vereador Vagner Barilon, cria zonas especiais para áreas sujeitas a alagamentos e inundações

O prefeito de Nova Odessa e presidente do Consórcio PCJ e do Consimares (Consórcio Intermunicipal de Manejo de Resíduos Sólidos), Benjamim Bill Vieira de Souza, encaminhou esta semana para a Câmara mais um projeto de lei voltado para o combate às enchentes na cidade. A iniciativa, que será analisada nas próximas semanas pelos vereadores, institui zonas especiais para áreas sujeitas a alagamentos e inundações. A propositura integra o chamado “pacote contra enchente” que está em tramitação no Legislativo e foi desenvolvido em parceria com o vereador Vagner Barilon (PSDB).

“Este é mais um projeto fundamental para o combate às enchentes em Nova Odessa, que cria zoneamentos especiais na cidade, proibindo edificações em áreas específicas sem apresentação de estudos de impactos. A proposta também possibilitará a criação dos chamados piscinões, que são áreas próprias para armazenamento das águas das chuvas”, explicou o secretário de Assuntos Jurídicos, Demétrius Adalberto Gomes.

O secretário destacou que este projeto complementa os demais que estão em análise na Câmara. “Este projeto em si altera o plano diretor, fazendo a adequação necessária para que as diretrizes que constam nas demais proposituras em análise possam ser implementadas”, explicou.

O vereador Vagner Barilon, que é presidente da Comissão de Defesa do Consumidor e Meio Ambiente na Câmara, tem acompanhado de perto e auxiliado na implantação das ações voltadas ao combate às enchentes. “Com as alterações no Plano Diretor, será possível evitar construções em áreas com problemas de inundação e utilizá-las de forma mais adequada, como por exemplo, os piscinões para armazenamento da água de chuva”, afirmou.

Ele lembrou ainda que os outros projetos em trâmite na Câmara são essenciais para que o Município possa resolver a questão das enchentes. “Os projetos tratam não apenas sobre criação de áreas para os piscinões, mas também para criação de um fundo para combate às enchentes e de um plano de macrodrenagem municipal. Este estudo é de extrema importância para detalharmos a situação de Nova Odessa e buscar outras soluções para a cidade”, disse.

O prefeito Bill destacou o empenho do vereador. “O Barilon é um grande parceiro e tem nos auxiliado com seus estudos tanto no desenvolvimento do Plano de Sustentabilidade Hídrica quanto em assuntos relacionados ao abastecimento municipal”, disse.

Além dos projetos do “pacote contra enchente”, o vereador lembrou as tratativas do governo municipal para conseguir junto ao DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica) uma draga para desassoreamento do Ribeirão Quilombo. “Estivemos no DAEE e fico feliz em saber que logo esta draga começará a operar”, afirmou.

FORÇA TAREFA - A força tarefa para recuperação do Ribeirão Quilombo deverá integrar o Consórcio PCJ e Consimares, Câmaras Municipais e prefeituras por onde passa o Ribeirão Quilombo com o objetivo de revitalizá-lo.

O Ribeirão Quilombo cruza cinco municípios. Ele nasce no município de Campinas, passando por Paulínia, Sumaré, Nova Odessa e terminando no Rio Piracicaba em Americana. Atualmente, está com águas altamente poluídas devido à despejos de esgotos domésticos e industriais, agravados pelo crescimento urbano em seu entorno, o que classifica suas águas como de classe 4, considerada imprópria para qualquer consumo, com uso permitido apenas para navegação e paisagismo.

Juíza de Nova Odessa implanta projeto para possibilitar reintegração de crianças e adolescentes

Em reunião ocorrida nesta terça-feira (3) no CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) de Nova Odessa foi discutida a implantação do Programa de Apadrinhamento, da juíza Michelli Vieira do Lago Ruesta Changman. Representantes da Prefeitura, Conselho Tutelar e Poder Judiciário trataram dos detalhes do projeto que permite famílias que se cadastrarem no Fórum apadrinharem afetiva e financeiramente crianças e adolescentes em situação de acolhimento.

A parceria envolve o Poder Judiciário e toda a rede socioassistencial do Município, englobando Casa Abrigo Casulo, CREAS, CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) do Jardim das Palmeiras e CAS (Centro de Assistência Social) do Jardim São Jorge. As famílias interessadas em apadrinhar podem procurar o Fórum de Nova Odessa, para o devido cadastramento.

A juíza da 2ª Vara Judicial da Comarca local determinou, por meio de Portaria publicada em 5 de junho, a organização e acompanhamento do programa. Além disso, deu ciência ao Ministério Público, Conselho Tutelar, OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Conselho Municipal da Criança e Adolescente e entidades de acolhimento do Município, além da própria Prefeitura e a Câmara Municipal.

Agora, discute-se a efetiva implantação. “Tem por objetivo possibilitar a reintegração familiar e a colocação em família substituta de crianças e adolescentes em situação de acolhimento institucional, que não tenham esta perspectiva por ausência de adotantes cadastrados com interesse”, explica a juíza de Direito. Segundo Michelli Changman, o apadrinhamento é “afetivo, de serviços e financeiros”.

Etapas - As etapas de aproximação e desenvolvimento do apadrinhamento, inclusive as autorizações para saídas da entidade, serão acompanhadas de forma sistemática pelos técnicos responsáveis, com supervisão do Poder Judiciário, e informados ao Ministério Público e Judiciário nos próprios autos do PIA (Plano Individual de Atendimento) da criança ou adolescente apadrinhado, com relatórios.

Os profissionais dos programas de acolhimento estão sendo preparados, além de discutindo para aperfeiçoar e ampliar o projeto. “O principal é que as crianças tenham vivência em família, lazer, afetividade e carinho”, ressalta a diretora de Gestão Social e Cidadania, Patrícia Cristina Pereira. A dirigente frisa que os cadastros das famílias interessadas em apadrinhar são diferenciados daqueles de adoção tradicional.

Conselheira tutelar, Maria Antônia Piconi reforça que o projeto não aborda a adoção. “Quem apadrinha não têm a guarda, pois continuam sob a responsabilidade da instituição de acolhimento. Lembrando que o objetivo é de promover vínculos afetivos seguros e também duradouros, em um encontro de amizade de um indivíduo que se torna referência na vida de crianças e adolescentes”, explica. “Quem se doa para ajudar o próximo, eleva-se como ser humano”, completa Maria Piconi.

A juíza Michelli Changman é também autora do Projeto Afin (Afeto na Infância), que tem exposição itinerante percorrendo Nova Odessa e outras cidades da região. O Projeto Afin é uma obra social que disponibiliza textos, vídeos, palestras e painéis ilustrados digitais com conteúdo relacionado à saúde emocional de crianças e adolescentes, com foco na chamada ‘primeira infância’, de 0 a 6 anos.

A iniciativa traz dicas de práticas baseadas em estudos científicos das áreas de Medicina, Psicologia e Pedagogia, sobre como pais e cuidadores podem agir para melhor educar o emocional das crianças. “É mais uma parceria entre a Rede Socioassistencial e o Fórum de Nova Odessa, com a excelentíssima juíza idealizando outro projeto importante para o nosso município”, finaliza Patrícia Pereira.

Apresentação abordou o crescimento das cidades entre outros assuntos relacionados

O Colégio Antares de Americana recebeu nesta quarta-feira, dia 04 de outubro o vereador Marco Antonio Alves Jorge, o Kim que transmitiu seu conhecimento como vereador e principalmente como arquiteto há tantos anos na cidade para as crianças da terceira série do ensino fundamental.

A apresentação foi bem descontraída, deixando os alunos se envolverem no assunto, que abordou toda a evolução das cidades, plantações, trabalho da produção rural até a produção urbana, com máquinas ao invés de homens, surgimento das favelas, projetos de construção em regime de mutirão entre outros temas.

“Fazer essa apresentação para os estudantes da terceira série foi muito gratificante. A atenção e o envolvimento dos estudantes dentro desse assunto foi muito forte, com perguntas interessantíssimas. É dessa forma que acreditamos nessa nova geração. Ela veio realmente para transformar o nosso mundo em algo diferente para melhor. Aprendi muito podendo dar essa aula, parabéns e obrigado à todos do colégio”, comentou Kim, arquiteto e membro do Conselho Nacional das Cidades.

“Filma São Paulo” foi apresentado pelo secretário José Luiz Penna durante encontro com profissionais do setor; assinatura de resolução garante recursos para a produção cinematográfica paulista

O secretário da cultura do Estado de São Paulo, José Luiz Penna, recebeu profissionais ligados ao audiovisual para apresentar um conjunto de ações voltadas à produção audiovisual paulista. Batizado de “Filma São Paulo”, o programa inclui novidades em toda a cadeia de produção do audiovisual – do desenvolvimento à distribuição das obras.

Penna assinou a resolução nº 50, de 29 de setembro de 2017, que formaliza o Programa de Fomento ao Cinema Paulista e regulamenta o aporte de incentivo fiscal das empresas estatais na produção e finalização de projetos cinematográficos de longa-metragem. A resolução é válida também para outras empresas, de natureza pública ou privada, que queiram aportar recursos incentivados no Programa de Fomento ao Cinema Paulista.

O incentivo fiscal via estatais já vinha sendo realizado desde a criação do programa, em 2003. No entanto, a assinatura da resolução formaliza e garante verba para os próximos anos.

“A garantia de aplicação de recursos do Estado, por meio da Lei do Audiovisual, é necessária para a produção cinematográfica paulista. Muitos dos projetos já apoiados em anos anteriores ganharam projeção e reconhecimento internacional. Além disso, o cinema tem uma função importantíssima no cenário econômico em que estamos: é uma atividade que gera muitos empregos. Por isso, essa resolução assegura o repasse de valores para o cinema paulista, e isso é somente parte do legado que queremos deixar para o audiovisual”, afirma o secretário José Luiz Penna.

Film Commission

Penna também anunciou a criação de uma Film Commission que tem o objetivo de colocar as cidades de São Paulo como vitrine para produções internacionais. Os municípios interessados em integrar a Film Commission deverão se inscrever em chamamento público e criar incentivos para a produção, que podem ser desde alimentação, hospedagem e transporte até recursos financeiros.

“O estado de São Paulo possui cenários que permitem filmar períodos históricos e contextos diversos. A visibilidade conferida aos municípios através das obras cinematográficas fomenta o turismo e ajuda a gerar emprego e renda”, afirma o secretário-adjunto Romildo Campello.

Circuito de Cinema Paulista

A etapa de distribuição e difusão das obras cinematográficas produzidas com patrocínio do Governo do Estado ganha novo impulso com o “Filma São Paulo”. Em parceria com a Spcine, que ajudará a compor a programação, os auditórios do MIS-SP, Memorial da América Latina, Biblioteca de São Paulo e Biblioteca Parque Villa-Lobos, instituições do Governo do Estado de São Paulo, receberão o “Circuito de Cinema Paulista”, programação de filmes com ingressos gratuitos ou a preços populares. Com isso, a Secretaria da Cultura do Estado passa a integrar o circuito Spcine, rede de salas de cinema da Prefeitura de São Paulo.

Sobre o Programa de Fomento ao Cinema Paulista

Criado em 2003 pelo governador Geraldo Alckmin, o Programa de Fomento ao Cinema Paulista regula a concessão de patrocínios das estatais paulistas a projetos de audiovisual e outras linguagens por meio da Lei do Audiovisual e da Lei Rouanet. Os projetos são selecionados anualmente por meio de edital lançado pela Secretaria da Cultura do Estado. As inscrições da edição 2017 estão abertas até 20 de outubro, em dois módulos: ficção/animação, com 6 prêmios no valor de R$ 750 mil cada e documentário, com 4 prêmios de R$ 375 mil cada.

O Programa de Fomento ao Cinema Paulista apoiou filmes como a animação O Menino e o Mundo, de Alê Abreu, indicado à categoria “Melhor Animação” no Oscar 2016; Que Horas Ela Volta?, de Anna Muylaert, filme premiado no Festival de Sundance, que representou o Brasil na categoria “Melhor Filme Estrangeiro” no Oscar 2016; Como Nossos Pais, que ganhou seis prêmios no Festival de Gramado, entre eles o de “Melhor Filme”; o documentário Homem Comum, de Carlos Nader, vencedor do Festival É Tudo Verdade, em 2015; Meu amigo hindu, de Hector Babenco; Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios, de Beto Brant e Renato Ciasca; e Xingu, de Cao Hamburger.

Investimentos da Secretaria da Cultura do Estado no audiovisual

A Secretaria da Cultura do Estado apoia o audiovisual em todas as fases: do desenvolvimento de roteiro até a distribuição e difusão. Por meio do ProAC ICMS, 120 projetos audiovisuais foram aprovados e autorizados a captar recursos na ordem de R$ 58 milhões em 2016. Também patrocina festivais de cinema – É Tudo Verdade, Festival de Cinema Latino-Americano, Curta Kinoforum, Mostra Internacional de Cinema, Mix Brasil e Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental – através da Lei Rouanet e do ProAC ICMS. Os editais abertos em 2017 somam R$ 10,286 milhões (37% a mais que em 2016) em prêmios, com recursos repassados diretamente aos proponentes, escolhidos por comissões julgadoras.

Além do Programa de Fomento Paulista, foram lançados este ano ações de fomento ao audiovisual (8 prêmios de R$ 55 mil), Prêmio estímulo curta-metragem (10 prêmios de R$ 84,6 mil), complementação de recursos para a produção de longa-metragem (4 prêmios de R$ 500 mil) e finalização de longa-metragem (4 prêmios de 250 mil).

O Parque Ecológico Municipal de Americana “Engenheiro Cid Almeida Franco” comemora 33 anos de fundação no dia 12 de outubro. E para comemorar a data, a Secretaria de Cultura e Turismo organizou uma programação especial. Nesse dia, além das atrações rotineiras, como o parque de diversões para a criançada e a oportunidade de contato com espécies da fauna brasileira, muitas delas em extinção, o visitante poderá apreciar apresentações de música e de teatro.

As atrações estarão concentradas no período da manhã. Às 9h30, será encenada a peça “Lobo Túlio e as Três Porquinhas”, que conta a história de três irmãs porquinhas que sonham em participar do festival de música da floresta. Mas acontece tanta coisa para atrapalhar no meio do caminho, que a solução vem da criatura que elas menos esperavam: o Lobo.

Em seguida, às 10h30, o Coral Infantil Villa-Lobos apresenta um repertório que inclui melodias húngaras, canções de domínio público e outras de compositores e cantores conhecidos, a exemplo de Luís Tatit e Ana Vilela. Entre os números musicais estão Leves Cantos, O Girassol, Alecrim Dourado, Eu Vi, Vento Frio, O Vento, Peraltice de Saci, Trem Bala e Pim-Pam-Pum, esta última com percussão feita com copos.

A última apresentação ficará sob responsabilidade do Grupo Teatral Ta’lento, do Espaço Fábrica das Artes, com a peça “O Palhaço Sou Eu”. Segundo o material de divulgação, “em ‘O Palhaço sou Eu’, três atores palhaços se revezam em cenas divertidas a partir de clássicas gags circenses. Situações embaraçosas do cotidiano são abordadas, como o medo de se expor em público, a “esperteza” do ingênuo, as mancadas do desastrado, a mágica pela ótica do palhaço, entre outras.”

Parque Ecológico - O Parque Ecológico Municipal de Americana "Eng. Cid Almeida Franco", foi inaugurado em 12 de outubro de 1984 e está localizado no final da Avenida Brasil, com uma área de 120 mil m². Uma das grandes finalidades do zoológico é utilizar os animais mantidos em cativeiro para realizar trabalhos de Educação Ambiental, tentando mostrar a grande responsabilidade na sobrevivência das espécies animais e vegetais.

O local conta com um plantel de, aproximadamente, 400 animais, entre répteis, aves e mamíferos, com mais de 100 espécies diferentes, 80% delas pertencentes à fauna brasileira, e várias espécies ameaçadas de extinção. O Parque Ecológico tem recebido mais de 500 mil visitantes por ano.

A segunda edição do Mostra de Teatro Cena Bárbara, em Santa Bárbara d’Oeste, superou todas as expectativas e levou mais de 1.200 pessoas aos equipamentos culturais, ruas e praças da Zona Leste. Com patrocínio da Prefeitura e do Fundo Pró-Cultura, por meio do Conselho Municipal de Política Cultural, o público pode conferir entre os dias 27 de setembro a 01 de outubro espetáculos gratuitamente para todos os gostos e de grupos teatrais vindos dos mais diversos lugares do Estado de São Paulo. O evento marcou os 11 anos do Grupo Di Atus.

Segundo o secretário de Cultura e Turismo, Evandro Felix, neste ano a Mostra avançou em diversos âmbitos. “Ao ser contemplado no edital de Concurso de Projetos, o Grupo Di Atus decidiu lançar o próprio edital para selecionar os trabalhos que comporiam a programação. O resultado foi surpreendente, tivemos mais de 60 espetáculos inscritos, para definir a grade de oito apresentações”, frisou. “Isso fez com que a qualidade dos espetáculos fosse muito elevada, além de democratizar oportunidades culturais. Apoiamos projetos magníficos como esse e o Cena Bárbara 2018 já começa a ser sonhado e elaborado para dar continuidade ao trabalho”, complementou Evandro.

Otávio Delaneza, diretor do Grupo Di Atus, ressaltou que o Cena Bárbara é uma reverberação do movimento cultural barbarense, um reflexo do Prêmio ‘Manoel Lyra’ e de tantos outros projetos que despertam para a arte, na intenção de fazer circular pelo Município o gosto e o prazer de apreciar teatro, de sensibilizar plateias vários espetáculos. “Realizar o Cena Bárbara é uma Missão desses artistas do grupo Di Atus, que não se aquietam e desejam sempre mais cultura para a cidade. Tivemos noites e encontros maravilhosos e sempre com casa lotada. Isso prova a importância do teatro em Santa Bárbara. Mapear o que há de melhor no Estado de São Paulo e apresentar aos nossos munícipes uma arte de qualidade, é sempre motivo de muita satisfação e orgulho”, comentou.

Os espetáculos foram promovidos no CEU (Centro de Artes e Esportes Unificados), no Planalto do Sol II, Praça da Migração, no Jardim Pérola, Parque Tom Leite, no Jardim Esmeralda, e Centro Cultural e Biblioteca “Professor Léo Sallum”, na Cidade Nova.

O vereador José Antonio Ferreira, o Dr. José (PSDB), protocolou, hoje (4), a Proposta de Emenda ao Projeto de Lei Complementar 16/2017, o qual dispõe sobre o funcionamento dos cemitérios municipais e concessão de uso de sepulturas e terrenos funerários. A emenda altera o artigo 61 do referido projeto, ampliando de seis para 24 vezes o período de parcelamento de terrenos funerários e sepulturas padrão, cujo valor para um adulto é de R$ 12 mil.

Na exposição de motivos da propositura, o vereador afirma que seu intuito é tornar mais acessível a concessão de uso de sepulturas nos cemitérios públicos municipais, uma vez que a proposta original, pelos valores financeiros contidos, dificulta o acesso da maioria da população barbarense a esse atendimento. “O valor proposto é muito alto para a maioria do povo barbarense e a emenda de ampliação das parcelas visa suavizar o impacto que a perda de um ente querido provoca nas pessoas, possibilitando a um maior número de barbarenses o acesso a uma sepultura nos cemitérios municipais”, afirmou.

Ainda na exposição de motivos do projeto, o vereador apresenta um comparativo do custo dos cemitérios municipais com outros da microrregião. Em Americana, por exemplo, no Cemitério da Saudade, o valor da taxa de concessão é de R$ 1.765,59. Não há sepulturas disponíveis no momento. No Cemitério Parque Gramado a concessão é de R$ 250 com boleto de pagamento para 15 dias.

Em Sumaré, no Cemitério da Saudade, o valor total é de R$ 2.206,90, sendo R$ 1.206,90 referentes aos serviços da Prefeitura e o restante da construtora que a família contratar. Na parte da Prefeitura, o valor deve ser pago em até 30 dias após o sepultamento.

Já em Nova Odessa, o preço da concessão no Cemitério Municipal é de R$ 1.498,77, podendo ser parcelado em até 10 vezes. O concessionário pode começar a pagar após 15 dias do sepultamento.

Os integrantes do Centro Novo Dia para o Idoso (CNDI), vinculado à Secretaria de Ação Social e Desenvolvimento Humano da Prefeitura de Americana, participaram nesta quarta-feira (4/10) de duas palestras sobre saúde e que fazem parte da programação da Semana do Idoso. Foram proferidas as palestras "Primeiros sinais de disfagia", com a fonoaudióloga Adriana Mendes, e "Alimentação e Câncer", com Zaine Helena da Silva e participação de estagiários de enfermagem da escola ETEC "Prof. Dr. José Dagnoni".

As atividades da Semana do Idoso do CNDI prosseguem nesta quinta-feira (5/10) com um almoço especial, a partir das 11 horas e, às 13 horas, será exibido um filme.

Na sexta-feira (6/10), encerrando as comemorações, será promovido um café da manhã especial, às 8h30. Em seguida, às 9 horas, será abordado o tema "Oficina de nutrição com suplementação", pela nutricionista Maria Luiza.

O vereador Joel Cardoso, o Joel do Gás (PV), protocolou, hoje (4), o Projeto de Lei 125/2017, o qual institui a Lei Infância sem Pornografia, que dispõe sobre o respeito dos serviços públicos municipais à dignidade especial de crianças e adolescentes, pessoas em desenvolvimento e em condição de especial fragilidade psicológica.

A propositura prevê que incumbe à família criar e educar seus filhos (crianças ou adolescentes), em consonância com o art. 229 da Constituição Federal e art. 1.634 do Código Civil. Ainda de acordo com o projeto, os pais ou responsáveis têm o direito a que seus filhos menores recebam a educação moral e que estejam de acordo com suas convicções.

O projeto também dispõe que órgãos ou servidores públicos municipais podem cooperar na formação moral de crianças e adolescentes, desde que, previamente, apresentem às famílias o material pedagógico, cartilha ou folder que pretendem apresentar ou ministrar em aula ou atividade.

Além disso, os serviços públicos e os eventos patrocinados pelo Município devem respeitar as leis federais que proíbem a divulgação ou acesso de crianças e adolescentes a imagens, músicas ou textos pornográficos ou obscenos, assim como garantir proteção a conteúdos impróprios ao seu desenvolvimento psicológico.

O projeto considera pornográfico ou obsceno áudio, vídeo, imagem, desenho ou texto escrito ou lido cujo conteúdo descreva ou contenha palavrões, imagem erótica ou de órgãos genitais, de relação sexual ou de ato libidinoso. Já a apresentação científico-biológica de informações sobre o ser humano e seu sistema reprodutivo é permitida, respeitada a idade apropriada.

Ainda de acordo com a propositura, a Administração Municipal, ao contratar serviços ou adquirir produtos de qualquer natureza, bem como patrocinar eventos ou espetáculos públicos ou programas de rádio, televisão ou redes sociais, fará constar cláusula obrigatória de respeito ao disposto no artigo 3º desta Lei pelo contratado ou patrocinado.

A violação ao disposto nesta lei implicará na imposição de multa de 15 % do valor do contrato ou patrocínio, e, no caso de servidor público municipal faltoso, em multa no valor de 5 % do valor de sua remuneração ao tempo do cometimento da infração, sem prejuízo das responsabilidades civil, administrativa e criminal.

Na exposição de motivos do projeto, Joel afirma que a Constituição Federal, a Convenção Americana de Direitos Humanos, o Estatuto da Criança e do Adolescente, assim como diversas leis federais estabelecem um sistema sólido de proteção a crianças e adolescentes contra violações à sua dignidade humana, especialmente nos âmbitos de sua integridade física, sexual e psicológica. “Até os 16 anos de idade, os pais representam legalmente os filhos, que de acordo com a lei civil são absolutamente incapazes.

E a negligência da família no sustento material ou escolar dos filhos é tão relevante que sua prática é punida pelo Código Penal. Assim, se a família possui tamanha responsabilidade legal face aos filhos menores, nada mais natural e necessário do que conferir aos pais o direito de decidir quanto à sua educação moral e religiosa”, afirmou.

Segundo o parlamentar, a escola e os professores podem e devem auxiliar a família na formação moral dos alunos, mas desde que previamente obtenham a anuência dos pais ou responsáveis. “Infelizmente, por desconhecimento, má-fé ou despreparo, não apenas professores, mas diversos serviços e servidores públicos que atendem crianças e adolescentes desrespeitam os direitos fundamentais infanto-juvenis e o direito da família na formação moral dos filhos, e expõem crianças e adolescentes a conteúdo pornográfico, obsceno ou impróprio, bem como as induzem à erotização precoce”, destacou.

A Câmara Municipal de Americana realizou na terça-feira (3) sessão solene de entrega de medalha de mérito “Ayrton Senna” ao atleta Edison Antiqueira Fassina, pelos relevantes serviços prestados no âmbito do esporte no município. A homenagem foi motivada por projeto de decreto legislativo de autoria do vereador Thiago Brochi (PSDB).

Participaram da solenidade os vereadores Rafael Macris (PSDB), Thiago Brochi e Thiago Martins (PV) e o secretário municipal de Esportes, Osvaldo Klein Neto, além de convidados, amigos e familiares dos homenageados.

Durante o uso da palavra, o vereador Thiago Brochi enalteceu a história de trabalho do homenageado. “Conheço o Fassina há muito tempo e ele é uma pessoa do bem, extremamente profissional e que faz falta no setor público, principalmente no esporte de Americana. Ele fez a diferença com seu caráter e sua honestidade. Sua passagem pelo Rio Branco é lembrada até hoje por todos que contam sua história e por isso ele é merecedor dessa justa homenagem”, discursou.

“Existem algumas figuras emblemáticas em Americana que a gente ouve falar muito, e o Edison Fassina é uma delas. Ele tem muitas histórias, positivas, engraçadas e de representatividade no quesito do esporte. Se for levar em consideração sua atuação no futebol de salão, no Rio Branco e revelando jogadores de futebol da cidade, já é uma homenagem merecida, mas para coroar vem a atuação na prefeitura como secretário adjunto, que deixou muitos ensinamentos que vão durar por anos e anos”, afirmou Rafael Macris.

Fassina utilizou a palavra para agradecer a medalha recebida. “É muito bom ser homenageado em vida, me deixou muito contente e emocionado. Eu dividiria essa homenagem em duas formas distintas: a primeira, relacionada à questão do esporte. Posso dizer que nesse sentido seria uma homenagem justa, porque sou apaixonado, fissurado pela área esportiva. A segunda, seria relacionada à competência, e eu não ousaria falar em beneficio próprio, correndo o risco da soberba e da vaidade, mas fico contente em saber que posso ter ajudado em algo na área de esportes”, falou o homenageado.

Edison Antiqueira Fassina

Edison Antiqueira Fassina, 66 anos, é paulista de Jundiaí. Filho de Antonio José Fassina e Helena Antiqueira Fassina, casado com Maria Elena. Pai de Vivian e Vitor Hugo. Avô de Ian e Igor.

Sua trajetória no esporte começou aos 13 anos, estudando no Instituto de Educação Presidente Kennedy, em Americana, onde passou a disputar campeonatos que reuniam representantes de cidades da região. Graduado em Administração de Empresas, jogou futebol de salão no Esporte Clube Condor de Americana, sagrando-se tricampeão municipal nos anos de 1967, 1968 e 1969. Foi campeão municipal nos anos de 1970, 1971 e 1972, no Clube Cultura de Capivari, em Rafard e no Botafogo do Cambuí.

Iniciou sua carreira como dirigente de futebol no ano de 1981 no Rio Branco Esporte Clube, após formação no Grupo dos 13 e convidado pelo Sr. Armindo Borelli. De 1989 até 1991 foi vice-presidente dos esportes amadores do Rio Branco Esporte Clube. Entre 1992 e 1993 assumiu a vice-presidência do clube. Seu trabalho contribuiu muito para a manutenção do clube na principal divisão do futebol paulista durante 17 anos consecutivos.

Durante sua passagem pelo Rio Branco, Fassina revelou jogadores como Fred, Souza, Alcides Eduardo, Danilinho, Sandro Hiroshi, Mineiro, Marcos Assunção, Flávio Conceição, Marcos Senna, Marcelinho Paraíba, Anailson, Alexandre, Zinha, entre outros.

Foi também empresário e procurador de diversos jogadores. Como parceiro das categorias de base do América de São José do Rio Preto de 1997 a 2001, conquistou o título de campeão paulista na categoria infantil no ano de 2000. Participou da montagem do time que consagrou campeão da série A3 pelo Rio Branco Esporte Clube – Americana, em 2012.

Foi um dos idealizadores e fundadores do Núcleo de Integração e Desenvolvimento do Ser, instituição sem fins lucrativos fundada em 1995, que tem como objetivo promover, por meio do trabalho voluntário, atividades gratuitas com crianças, jovens e adultos, proporcionando o desenvolvimento pessoal, social, cultural e educacional.

Atou como secretário adjunto de esportes na prefeitura municipal de Americana e em empresas trabalhou como relações públicas, gerente administrativo e auditor. Atualmente trabalha em um escritório de empresários de futebol como coordenador.

Pagina 10 de 337

Sobre Nós!

Web Portal Santa Bárbara d’Oeste SP, de conteúdo informativo independente, todas as notícias e artigos são de propriedade e responsabilidade do autor.

 

Informações da cidade de Santa Bárbara d’Oeste e Região!

Fale Conosco!

Últimos posts