Dias de ira

Não há um único dia em que os brasileiros não sejam surpreendidos por alguma violência vinda dos mais recônditos recantos da coletividade. A violência jaz latente em cada ser, apta a ser desencadeada diante de qualquer insólito acontecimento.

Crime bárbaro ocorrido no último final de semana: festa de aniversário, todos os convidados já haviam chegado, com a aniversariante, mãe de pequenas crianças, superfeliz por causa de todas as pessoas importantes presentes para comemorar a sua data natalícia. O marido põe-se a discutir com ela, talvez por ela ter gastado muito com a comemoração. Ela se coloca defronte à camioneta, tentando impedi-lo de sair. O marido, então, aciona o veículo, passando por cima dela, matando-a, claro, devido ao tremendo impacto da camioneta sobre ela e à violência do ocorrido.

O marido tenta fugir e os convidados o detêm. Ele estava literalmente bêbado. Flagrantemente preso, será julgado e condenado, mas, por ser primário, tirará de letra o cumprimento da sentença, reduzindo-a muito. Brevemente estará em liberdade, retomará a sua vida, contrairá novo relacionamento, constituirá nova família, terá outros filhos e poderá ser feliz.

Tão simples assim? Sim, tão simples, como se desfazer de uma roupa incômoda. Mas, profundamente injusto, ficando a impressão de algo horrivelmente desumano e injusto ter prevalecido sobre a vida, sem ter sido legal e convenientemente reparado.

Pessoas ditas cultas e do bem também cometem atrocidades.

O crime acima descrito ocorrera num condomínio de luxo, em Indaiatuba, no estado de São Paulo. Que dizer de Isabella – cinco anos apenas -, filha de Alexandre Nardoni, lançada inconsciente do 6º andar e morrido? Dia 29 de março de 2008. Já se vão dez anos... Pai e madrasta estão cumprindo pena de reclusão (31 e 26 anos, respectivamente). Foram julgados e condenados pelo crime. Logo também estarão de volta à rotina diária e poderão, novamente, ser felizes. Moralmente injusto, embora prescrito na lei. E a vida da garota sucumbida na mais tenra existência, como ficará? Mesmo com a prisão perpétua dos seus executores jamais a perda de uma vida humana será reparada.

E o crime cometido por Suzane Richthofen, com a tentativa de envolver o seu irmão Andreas e a execução a cargo dos irmãos Cravinhos? Suzane já está prestes a obter a sua liberdade e os irmãos Cravinhos também logo a obterão, por havê-la cumprido integralmente ou tê-la reduzido por bom comportamento ou por causa da sua condição de réus primários. Também, todos eles voltarão a viver a sua vida plena, pois, conforme a legislação em vigor, não terão mais nada a temer ou a dever à sociedade.

Pergunta óbvia: e o casal brutalmente assassinado, tendo sido interrompido nos seus mais justos anseios e nos mais sinceros propósitos de vida, justamente por aqueles a quem dedicaram e justificaram a sua existência?

Qualquer atitude que se diga legalmente justa – até a pena de morte - jamais poderá ser moralmente reparadora. A vida não retornará.

Mas, pior e injustificável, essas mortes ocorreram em ambientes sofisticados, sem fome, com educação refinada, lares exemplares, água domiciliar, tratamento de esgoto e saúde plenamente acessíveis, em qualquer hipótese.

Óbvio que em ambientes diametralmente opostos as mortes não se justifiquem também, mas que não devam ser combatidas com idêntico poder de fogo por parte das polícias, mormente agora pelas Forças Armadas, cuja intervenção no estado do Rio de Janeiro parece discutível e um equívoco originado mais na intenção de um gol de placa por parte de Michel Temer, especulando, talvez, a sua continuidade como presidente.

Alonso de Oliveira, jornalista. Foi secretário de Administração, diretor de Suprimentos e coordenador de RH da prefeitura de Americana. E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

Share this article

About Author

administrador

Publicado pelo Administrador, porém não necessariamente escrito ou opinião do mesmo!

Entre para postar comentários

Sobre Nós!

Web Portal Santa Bárbara d’Oeste SP, de conteúdo informativo independente, todas as notícias e artigos são de propriedade e responsabilidade do autor.

 

Informações da cidade de Santa Bárbara d’Oeste e Região!

Fale Conosco!

Últimos posts